Os Brazões (1969)


Integrada por Miguel e Roberto nas guitarras, Eduardo na bateria e Taco no Baixo, Os Brazões era a banda que acompanhava Gal Costa no final dos anos 60. Cultivavam um estilo imerso no tropicalismo, com altas doses de psicodelia, evidenciada pela guitarra fuzz de Roberto e pela guitarra wah wah de Miguel. O rico trabalho de percussão, as letras em português e a utilização recorrente de ritmos regionais, completam a fórmula sonora dos Brazões. Uma comparação com Santana não é de todo errônea.

Os Brazões é uma das mais intressantes bandas da psicodelia brasileira. Este disco, que em determinados momentos parece estar a frente do seu tempo, com pinceladas bastante elaboradas de rock e até de fusion, lamentavelmente é o único legado da banda. Um grupo que com certeza poderia ter ido muito longe.

Texto: Brazilian Nuggets

História

A banda foi formada no Rio de Janeiro no final de 1968 e serviu de apoio para vários cantores, entre eles Gal Costa e Tom Zé. Entre os seus principais shows estão um realizado com Gal Costa na Boate Sucata, no Rio de Janeiro, em abril de 1969, e outro realizado em maio do mesmo ano no Teatro de Bolso, com Gal Costa e Tom Zé. A banda também defendeu a canção Gothan City, composta por Jards Macalé e Capinam, no IV Festival Internacional da Canção Popular, em 1969, e teve uma canção incluída na coletânea desse festival.

Ao contrário do que consta no Dicionário Cravo Albin, que afirma que a banda gravou lançou dois álbuns, ela lançou apenas um. A formação que gravou o álbum da banda era constituída por Miguel de Deus (guitarra base), Eduardo "Edu" Rocha (bateria e percussão), Roberto (guitarra solo), Taco (baixo), e Mandrake (percussão, em participação especial) mas também passaram pela banda os músicos Sérgio Bandeyra (guitarra e voz, ex-integrante do Albatroz, banda em que Lulu Santos tocou no início de carreira), Paulinho Augusto (guitarra, que tocou no O Bando), Roberto (órgão), Luís Carlos (bateria e percussão), Francisco (bateria e percussão), Gastão (percussão), Clarita (backing vocal) e Walkíria (backing vocal).

A banda é muito elogiada por Nelson Motta na contra-capa de seu álbum,2 e em seu álbum são apontadas como destaque as canções Gotham City (regravada na década de 1980 pelo Camisa de Vênus), Pega a Voga Cabeludo e Volksvolkswagen Blue (ambas de Gilberto Gil), Momento B/8 (do Brazilian Octopus) e Planador (do Liverpool).

Após o fim da banda, Miguel de Deus, que era baiano, integrou a banda Assim Assado, que tinha um estilo semelhante ao do Secos & Molhados e lançou um álbum, e depois participou do movimento Black Rio e lançou um dos discos mais cultuados do movimento, chamado Black Soul Brothers.


Em 2006, a banda teve a canção "Tão Longe de Mim" incluída na trilha sonora do filme 1972, e no mesmo ano a banda teve o seu álbum relançado em CD na série Som Livre Masters, que chegou a ser apontado como "um dos destaques do projeto", e ele se esgotou rapidamente.

Texto: Wikipédia

Integrantes:
Miguel de Deus: guitarra base
Eduardo: bateria
Roberto: guitarra solo
Taco: baixo elétrico


Participação especial:

Mandrake: percussão



Discografia
 
Senha dos arquivos: brrock
 

Os Brazões (1969)
01. Pega a Voga Cabeludo
02. Canastra Real
03. Módulo Lunar
04. Volkswagen Blue
05. Tão Longe de Mim
06. Carolina, Carol Bela
07. Feitiço
08. Planador
09. Espiral
10. Gotham City
11. Momento B8
12. Que Maravilha



Um comentário:

  1. sou um amante do rock nacional setentista entre outras bandas de rock antigas que se perderam no tempo e você resgata nesse blog maravilhoso e também apoio a cena das novas bandas autorais espalhadas por esse país e que são muitas.
    Aqui tenho oportunidade de conhecer muitas mais, obrigado ao criador desse site que eu amei porque me representa!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.