Skrotes - Discografia


Liberdade, desconstrução e transgressão. Os SKROTES juntaram-se em 2009 sobre um repertório de leituras instrumentais de temas populares que calhou num convite para compor a trilha sonora do filme “Ilha 70” (Vinil Filmes). A experiência inspirou ainda mais a banda rumo às suas próprias composições.
 
No entanto, estão longe de ser um trio instrumental convencional. Sem rótulos nem regras, os Skrotes transitam por todos os estilos que compõem a musicalidade de seus integrantes: Chico Abreu (baixo), Igor De Patta (teclados/synths) e Guilherme Ledoux (bateria).
 
O primeiro registro da banda, um EP em 2011, traz uma pequena prova disso com três subversões de standards atemporais: “Estupro dos Cisnes”, “Yo no creo en milagros” e “Lei de Gagá”, além da inédita “Arco da Véia”.
 
Doses contraindicadas de jazz, punk rock, brasilidades e música pop misturam-se numa pegada junkie quase despretensiosa.
 
A fusão resulta em composições carregadas de simbolismos, de aleatórias influências e sensações. Um passeio lisérgico entre os diversos caminhos da musicalidade contemporânea.
 
Em 2012 o álbum “SKROTES” é lançado pela SIC Music, em formato magazine e disponibilizado virtualmente. Música clássica, eletrônica, metal, noise, nada escapa aos ouvidos, como uma ode à contravenção da composição regrada.
 
Um prazeroso fazer o que não se pode, com ousadia e competência, sem limitações. É combustão espontânea de música livre.
 
Parece maluco, mas essa fusão sonora flui harmonicamente e não tem fórmula mágica para acontecer. Podem surgir da faísca propulsora de Igor em um de seus teclados para tomarem forma nas mãos de Ledoux e Chico. Nada importa. São criações que parecem nunca estar acabadas, talvez mudem todos os dias, em cada show, na próxima nota, como qualquer outra coisa da natureza.
 
Lançado no início de 2014, o novo trabalho do trio catarinense chama-se “Nessun Dorma” (na tradução do italiano, Ninguém Dorme), em referência à ópera homônima de Puccini.
 
As múltiplas referências musicais dos integrantes aparecem na variação de ritmos e ideias que constróem um sonoro caos organizado, representado em 10 faixas de títulos escrachados: Allegroland, Baixa Ajuda, Dois da Nêga, Dr. Ítalo, Libertonho, Murruga Ali, TP, Vinicius Demorasse, Vou pra Bahia e Adogás, esta última, uma viagem pelo jingle original do caminhão do gás.

As dez faixas do álbum (que foi lançado em CD e Vinil) foram gravadas com captação ao vivo e viabilizado através de uma campanha de crowdfunding na internet, em que o público compra cotas para ajudar a concretizar os projetos em que acredita, numa proposta que se consolida em todo o mundo como fonte alternativa de recursos para a cena independente. (Texto: Site Oficial).





Discografia
 
Senha dos arquivos: brrock

 

Skrotes (2012)
01. Manabu
02. Mared Marofa
03. Noinha
04. Intervalinho
05. La Maldita
06. Tchaka



Deboche ñ é Crime (2013) [EP]
01. Black Sabiá
02. Sepultura
03. Stevie Hot
04. Turrufando na Roseira



Nessun Dorma (2014)
01. TP
02. Baixa Ajuda
03. Allegroland
04. 2 da Nêga
05. Dr. Italo
06. Libertonho
07. Vinicius Demorasse
08. Murruga Ali
09. Adogás
10. Vou para Bahia




Senha dos arquivos: brrock



Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.